November 5, 2018

August 13, 2018

August 13, 2018

Please reload

Posts Recentes

Projeto Social Lutar para Vencer e Realizar conquista carta de apoio do Governo do Estado do Paraná

November 21, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Prática de artes marciais transforma a vida de estudantes curitibanos

November 21, 2019

 

O projeto social “Lutar para Vencer e Realizar” ensina jovens a desenvolverem disciplina, fraternidade e autocontrole por meio do hapkido

 

 O que começou como um estágio de faculdade resultou em uma verdadeira transformação de vida para estudantes de Curitiba (PR). O projeto “Lutar para Vencer e Realizar”, idealizado pelo Mestre Uberto Gama (faixa-preta 7º Dan em Hapkido) durante sua segunda licenciatura em Educação Física, leva o hapkido (arte marcial coreana) a jovens de escolas públicas. Por meio da prática e da filosofia oriental, os estudantes desenvolvem disciplina, autocontrole, respeito, fraternidade e pensamentos nobres. 

Em vigor desde agosto no Colégio Estadual Gabriela Mistral, o programa já colhe bons frutos. Segundo o diretor da escola, Professor Hebert Hiroshi Sato, os alunos mudaram de atitude. “Os praticantes se afastaram de más companhias, passaram a se preocupar 

com o estudo, melhoraram a etiqueta social e reduziram a agressividade, porque agora possuem um local seguro para escoar a raiva. Com o hapkido, eles se incorporaram dentro de uma família, se tornaram parte de algo maior.” 

O diretor afirma, ainda, que o projeto influenciou o colégio como um todo. “Hoje temos uma escola em que se vive a arte marcial, cujo foco não é a competição, e sim a busca do autoconhecimento, do controle da agressividade, do respeito e da ancestralidade.” 

O estudante Daniel da Fonseca Gomes, 15 anos, aluno do 1º ano do Ensino Médio, participa do projeto desde o início e conta que, desde então, muito mudou em sua vida. “O hapkido me ajudou a colocar a cabeça no lugar. Hoje eu tenho mais disciplina e consigo prestar atenção nas coisas. A meditação, que é parte crucial da aula, também auxilia muito e trabalha a mente para termos mais calma. Agora, sempre que fico nervoso, ansioso ou bravo, eu sento na minha cama e medito. Minha mãe está orgulhosa porque estou tomando um rumo na vida.” 

Daniel, por sua vez, complementa que a postura de seus colegas também está diferente. “Muitos alunos eram bagunceiros, contudo, hoje estão estudando mais e, mesmo quem não pratica, mudou. Os amigos nos veem prestando reverência aos professores, percebem nossa disciplina e estão seguindo o exemplo.” Seu colega de treino, o estudante Leonardo de Jesus Amálio, 15 anos, aluno do 9º ano, confirma: “O hapkido está melhorando tudo em mim. Eu não prestava atenção em nada, agora presto atenção em tudo, na escola, em casa e ao andar na rua.” 

 

O projeto “Lutar para Vencer e Realizar” 

Concebido inicialmente para a conquista de sua segunda licenciatura em Educação Física, o programa logo teve seu objetivo ampliado por seu criador, o Mestre Uberto Gama. “Minha meta era cumprir as exigências da faculdade, como sempre, e desenvolver algo útil para a sociedade. As artes marciais fazem parte da nossa história e, assim mesmo, são pouco vistas nas aulas de Educação Física. Porém, possuem muitos benefícios, sobretudo na juventude: ensinam a gerenciar conflitos de forma madura e equilibrada, desenvolvem ordem, disciplina, generosidade e fraternidade.” 

Para o Presidente da Seção Regional de São Paulo da International Police Association (IPA), Dr. Jarim Lopes Roseira, este tipo de ação social pode, inclusive, contribuir com a redução da criminalidade no país. “É preciso aprender a se defender, isso reduz as chances de sucesso do criminoso. Conhecer as artes marciais ajuda na formação do jovem e dá noção de disciplina e obediência. A IPA apoia este projeto do Mestre Uberto Gama, um profissional de conduta ilibada.” 

Com opinião complementar, o Presidente do Conselho Regional de Educação Física do Paraná (CREF/PR), Professor Antônio Eduardo Branco, afirma que o segredo para que iniciativas como esta tenham sucesso está na competência de quem as gerencia. “Precisamos de mais pessoas como o Mestre Uberto Gama, um profissional de Educação Física com entendimento do que está fazendo, que tem caráter, moral e ajude a disciplinar. Isso tem muito a contribuir com o futuro da juventude.” 

O programa mantém-se até dezembro no Colégio Estadual Gabriela Mistral e, ao finalizar a exigência do estágio, o projeto social continuará em 2020 por iniciativa do Mestre Uberto Gama. Aqueles que praticaram com comprometimento e assiduidade receberão certificados de participação expedidos com apoio do The President’s Council on Sports, Fitness and Nutrition, do programa americano Presidential Youth Fitness Award. “Eu agradeço esta oportunidade e espero poder fazer isso em outros colégios, pois nenhum projeto social tem fim. Afinal, o processo educacional é permanente e independe da idade, pois em todo momento estamos aprendendo”, afirma o Mestre. 

Ainda, sobre a transformação que o projeto propiciou, o Mestre ressalta que este é apenas um discreto projeto social, mas pode ser o início de uma grande mudança. “Trata-se de um trabalho intensivo de ‘cura’ social. Eu acredito que nós podemos melhorar a juventude e, assim, melhorar o Brasil. É preciso firmeza, condução, comprometimento, disciplina e respeito, acima de tudo. Para o ano que vem (2020), implantaremos em outras escolas em Curitiba, a pedido de alguns diretores que já estão motivados em ter o hapkido na vida de seus alunos.” 

Sobre o Mestre Uberto Gama e sua escola marcial, o Song Do 

Além de ser faixa-preta 7º Dan em Hapkido e Taekwondo, o Mestre é jornalista, teólogo, filósofo, psicanalista, escritor e profissional de Educação Física registrado no CREF Paraná. Em 2015, recebeu certificações dos Estados Unidos e da Coreia do Sul para fundar seu estilo próprio de arte marcial, o Song Do, ministrado em seu dojang na Clínica Vidya, em Curitiba (PR). 

Desde criança, mostrava interesse pela filosofia oriental, especialmente pelas artes marciais. Aos 10 anos, começou a estudar Yoga e espiritualidade. Autodidata, aprendeu várias técnicas por meio de revistas especializadas e do seriado de TV Kung Fu. Após ter se destacado em um torneio, recebendo menção honrosa, passou a aprender com professores e mestres de Hapkido e Taekwondo. Tornou-se discípulo direto do coreano, Mestre Hee Song Kim, que o conduziu no caminho das artes marciais e do Vidya Yoga. 

 

Contatos para a imprensa: 

Giulia El Halabi (Minah Shakti) 

minahshakti@gmail.com 

(41) 9 9755-6879 

 

Thaise Burda (Lákshi Báli) 

lakshi.bali@gmail.com 

(41) 9 9123-3210 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga